Músicas do Chile e do Peru compõem o terceiro show da série, que vai até 1º de junho no CCBB

Com uma mistura dos ritmos peruanos, afros e espanhóis, o show CADÊNCIA DOS ANDES: CHILE E PERU, o terceiro e penúltimo da série AFROLATINIDADES, apresenta uma proposta um pouco mais introspectiva, característica dos povos dessa região, com músicas cadenciadas e letras nas quais os sentimentos aparecem em primeiro plano. A série continua até 1º de junho, no Teatro II do Centro Cultural Banco do Brasil. Nesta terça-feira, 25 de maio, a banda residente Songoro Cosongo receberá dois convidados especiais: o chileno Horacio Salinas e o peruano Ricardo Bartra. O show será realizado em duas sessões, às 12h30 e às 19h, com ingressos a R$ 6.

Em destaque, os ritmos LANDÓ e FESTEJO peruanos e CUECA chilena. O LANDÓ é um estilo de música afro-peruana oriunda da música criolla, uma mistura das heranças espanhola e africana, caracterizada pela levada lenta. O instrumento mais representativo da música afro-peruana em geral é o cajón, originário da época colonial, quando os escravos africanos serviram-se de caixas de madeira e gavetas para executarem suas músicas, após terem seus instrumentos de percussão tomados pelos feitores da época. O FESTEJO (nome advindo do espanhol ‘fiesta’) é visto como uma celebração da independência peruana e a emancipação dos escravos, ou, ainda, como uma tentativa de reinventar a música africana da diáspora sem referência à escravidão. Já a CUECA é a dança nacional do Chile.

HORÁCIO SALINAS
O chileno Horacio Salinas é considerado um dos músicos mais importantes da história da música de seu país, sendo responsável pela criação de uma nova era, através do seu trabalho como diretor musical do Inti-Illimani, grupo com mais de 30 álbuns no currículo, que esteve no Brasil pela última vez há 17 anos. Violonista, compositor e arranjador, traz a tradição da música latino americana, num diálogo natural entre os mais diferentes ritmos e estilos de cada canto do nosso continente. Salinas colaborou com muitos artistas do mundo, entre eles Wynton Marsalis, Peter Gabriel, Mercedes Sosa e John Williams.

RICARDO BARTRA
O peruano Ricardo Bartra, que está radicado no Rio de Janeiro há mais de uma década, é líder do grupo Negro Mendes e, com ele, realiza um trabalho internacional de divulgação da música típica do seu país.

E MAIS

1 DE JUNHO
CENTROS URBANOS: ARGENTINA E URUGUAI
CONVIDADOS: RENE ROSSANO E HUGO FATTORUSO
O argentino René Rossano toca guitarra no Songoro Cosongo e vai trazer um baú de inéditas para o AFROLATINIDADES. Arturo brinca, dizendo que ele é um dos raros compositores que não se interessam em registrar a própria obra. Enfim, vamos conhecer esse material ao vivo no CCBB! Em outra época, o tecladista uruguaio Hugo Fattoruso atuou bastante no Brasil e gravou com Hermeto Pascoal, Toninho Horta, Chico Buarque, João Bosco, Maria Bethânia, Naná Vasconcelos, Miúcha, Geraldo Azevedo e Milton Nascimento, entre outros. “É o único convidado internacional que tem um vínculo com o país”, assinala Arturo. Também compositor, arranjador e vocalista, Hugo é um músico fundamental para entender a sonoridade uruguaia. O público vai ouvir TANGOS, MILONGAS e CANDOMBES.

Terça (25/05 e 01/06), às 12h30 e às 19h, no Teatro II do Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Primeiro de Março, 66, no Centro do Rio de Janeiro. Tel: 3808-2020). R$ 6 e R$ 3 (estudantes e maiores de 65 anos).

(Da assessoria de imprensa)

Veja também

3 comentários

  1. Olá!
    Obrigada pela visita e pelo elogio!
    Claro que passarei na “casa” de vocês também. Aguardem-me!
    Beijos,
    Christina Fuscaldo

  2. olha so eu queria pesquisar sobre a musica do chile mais nao consique estou fazendo olipoada de copas do mundo como vazer isso

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *