Considerações sobre ‘Lua Singela’, o primeiro disco de Luís Capucho

Posted by Camila Claro Category: Colaborações

Na estrada desde o começo dos anos 90, o capixaba Luís Capucho – nascido em Cachoeiro de Itapemirim (ES) e criado em Niterói(RJ) –é cantor, compositor, poeta, tendo lançado somente em 2003 o seu primeiro disco, “Lua Singela”, produzido por Paulo Baiano e assinado pela gravadora e produtora Astronauta Discos, que trabalha em parceria com a Warner.

Para alguns, Capucho é conhecido como “maldito”, e talvez isso se dê pelo formato de suas criações. Luís é um artista muito simples. Singelo como a lua de seu CD – que traz em sua capa uma ilustração de Carlos Latuff – o compositor carrega nos personagens de suas canções muita força em suas letras. A certeza que nos passa é de que este “maldito” sabe, e muito bem, como se expressar.

Por trás das histórias cantadas pelo seu tom de voz um tanto quanto rouco, nota-se que o blues e o jazz compõem suas melodias. O peso desse conjunto, às vezes, chega a soar melancólico, como no caso da faixa que dá o nome ao disco, “Lua Singela”. Mas na sequência vem a canção “Fonemas” e o ar de melancolia acaba se esvaindo com o sax alto de Bia Clemente.

Dentre as doze canções do álbum, duas são muito interessantes: “Bengalinha”, que é bem divertida, e a outra que de longe o blues mais se destaca, “Sucesso com Sexo”, na qual a guitarra de Lucinha Turnbull logo no início se apresenta rasgando suavemente as letras marcantes do “maldito”.

Para encerrar o disco, Luís e Mathilda Kóvak dividem a romântica (e melancólica) letra da faixa “Máquina de Escrever”, que também foi gravada pelo cantor Pedro Luís e A Parede, em 1996. E assim, mesclando o tom da melancolia, ora divertida, ora dolorosa, Luís Capucho e sua lua singela embalam a trilha sonora daquelas que não vale a qualquer um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>