Ivete Sangalo no DVD ’20 Anos’: a música certa para a hora certa

Bell Marques, The Stomp, Alexandre Carlo, Alexandre Pires, Saulo… Que Copa, que nada! A Arena Fonte Nova parece ter sido reformada para Ivete Sangalo, candidata ao posto de Rainha do Brasil (depois que Roberto Carlos for destronado ou perder o trono) e figura tão importante para a cultura desse país quanto os maiores craques do futebol. Gravado em dezembro de 2013, Multishow Ao Vivo Ivete Sangalo 20 Anos encheu o “novo” estádio para um show que não fica atrás de nenhuma jogo de futebol (nem da final) ou de outra produção nacional ou internacional. E, além de muita música, o DVD duplo (algo inusitado na indústria fonográfica) conta com a participação dessa trupe de feras.

Independente da qualidade de certas músicas (ou das músicas certas), Ivete é soberana na Bahia desde que despontou em carreira solo, após bem-sucedida temporada à frente da Banda Eva, e é a atração feminina (ou solo) mais requisitada no mais rico Carnaval brasileiro. Não é à toa que ela estava devendo a seu povo um DVD gravado de forma tão ou mais grandiosa quanto aquele registrado no Maracanã em dezembro de 2006 (e lançado em 2007). Multishow Ao Vivo Ivete Sangalo 20 Anos reúne em músicas uma parte considerável da história da cantora, modernizando os sucessos mais antigos. Um dos pontos altos do show são as coreografias, com destaque para o sapateado percussivo do The Stomp que ganhou adesão de Ivete durante a música No Meio do Povão.

Ivete Sangalo e Olodum por Cacau Mangabeira

Ivete Sangalo e Olodum por Cacau Mangabeira

O jeito meio sem jeito de Ivete, quando tenta acompanhar os bailarinos, é pura diversão e torna sua atuação muito espontânea. Uma mistura de Madonna com Beyoncé e Wanessa Camargo, o figurino com o qual inicia o show é um tanto esquisito, mas tem tudo a ver com a proposta megalômana da produção: o collant (ou body) preto e rosa com uma saia protegendo a traseira de Ivete valorizou a silhueta da cantora (que, graças a Deus, é a de uma mulher de verdade). Cabelos ondulados e muito suor durante o show também mostram que a artista está cada dia mais focada na vida real. Viva Ivete Maria Dias de Sangalo Cady!

Os convidados são um show à parte. Bell é um dos pilares do Carnaval baiano e, com certeza, parte importante da história de Ivete: ele interpretou Pra Você, uma composição de Ivete e Gigi. Alexandre Carlo saiu de Brasília, onde deixou seu grupo, o Natiruts, para uma ótima interpretação de Could You Be Loved, clássico de Bob Marley. Além do axé, do ijexá, da cumbia e do carimbó, o samba está presente no DVD com o vocalista do Só Pra Contrariar: sempre simpático, Alexandre Pires cantou Me Engana Que Eu Gosto, mais uma composição de Ivete e Gigi com Radamés Venâncio. Presença sempre presente, Saulo Fernandes fez dueto mais perto do fim do show (já no segundo DVD) em Cruisin’, sucesso da trilha do filme Duets – Vem Cantar Comigo.

Ivete Sangalo por Rafa Mattei

Ivete Sangalo por Rafa Mattei

A homenagem à Bahia é o ponto mais alto do espetáculo, musicalmente falando. Adeus, Bye, Bye inicia o bloco em que Ivete, vestida de baiana com um vestido branco, celebra a terra onde nasceu e que te deu tantas oportunidades. Ficou belíssima a leitura mais agitada de Muito Obrigado, Axé, composição de Carlinhos Brown que, no DVD Pode Entrar (2009), ganhou versão mais intimista. Ainda assim, a canção se apresenta com uma levada que acalma.

O primeiro DVD acaba com Ivete ainda vestida de baiana, fazendo uma homenagem ao axé, emendando Beleza Rara/ Tum, Tum, Goiaba/ Pra Sempre Ter VocêFã/ Miragem/ Eva. No telão ao fundo do palco, projeções com momentos pinçados nos últimos 20 anos de história na música brasileira.

O segundo DVD começa homenageando o Olodum com percussionistas do grupo ajudando Ivete, ainda de branco, a entoar o pot-pourri Faraó, Dinvidade do Egito/ Ladeira do Pelô/ Doce Obsessão. O melhor figurino da noite está também nessa segunda parte do show: com um belo e franjado vestido vermelho, Ivete aparece em um palco baixo e pequeno localizado bem no meio da plateia (como ela chegou lá, o vídeo não mostra), cantando o bolero Beijo de Hortelã, composição da ex-The Voice Liah Soares. Ainda perto da “pipoca”, Ivete demonstra seu dom ao violão, acompanhada de três percussionistas (esses sim aparecem chegando e subindo ao palco) em Faz Tempo / Deixo.

Ivete Sangalo por Cacau Mangabeira

Ivete por Cacau Mangabeira

Nesses 20 anos de carreira, Ivete já foi somente um sinônimo de Carnaval baiano, mas voou alto ao mostrar que sabe o que cantar quando não está em festa. Não dá para dizer que são boas as letras de músicas como Obediente (essa começa contando uma história e vira uma coisa esquizofrênica). Mas, assim como Cadê Dalila e tantas outras, são canções que funcionam em cima do trio elétrico. A bela Só Num Sonho (Ivete, Gigi e Radamés)  e o já clássico Se Eu Não te Amasse Tanto Assim (Herbert Vianna e Paulo Sérgio Valle) – que emocionou demais a plateia – mostram que um dos maiores trunfos da artista é saber cantar a música certa na hora certa.

Ah, e se quiser saber como acaba o segundo filme, dê uma olhada na foto ao lado e não deixe de esperar os créditos subirem! Ivete volta pra confirmar, usando apenas sua voz, porque é forte candidata ao posto de Rainha do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Required fields are marked *.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>